segunda-feira, fevereiro 18, 2013

Santíssima Trindade - Debate



NeTo Cris Machado
Da onde surgiu ?


NeTo Cris Machado
Ninho Jesen vc é de Roma ? kkkkk Ou foi enganado por ela ?


Yehudim Natziri Kennedy Yos'sef
VC É UM EVANGELICO ROMANO CRISTÃO, É FILHO DE ROMA.


NeTo Cris Machado
Não sou Protestante.


NeTo Cris Machado
E vc é Judeu de Pai e mãe ou é mais um Pseudo Judeu ?


Iani Brito de Ribamar
SOU BNEI ANUSSIM ORTODOXO


Yehudim Natziri Kennedy Yos'sef
SOU MARRANO SEGUIDOR DO MASHIA YESHUA.


Eliezer Abensur
Vou sair para dar coragem aos discípulos de Jesus para responder
h

Josiel Gomes Konoha
Existe pra quem acredita





Magalhães Luís
<iframe width="640" height="360" src="http://www.youtube.com/embed/CtKsaB5xgxI?feature=player_embedded" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>






Eliezer Abensur
Não, a trindade não existe.


Lucas Cordeiro
Marcos 1; 10 Assim que saiu da água, Jesus(segunda pessoa) viu o céu se abrindo e o Espírito(terceira pessoa) descendo como pomba sobre ele.
11 Então veio dos céus uma voz(primeiro pessoa da trindade): "Tu és o meu Filho amado; de ti me agrado".


Josiel Gomes Konoha
Agora diga o que é mais velho


Lucas Cordeiro
Gênesis 1:26 Então disse Deus: "Façamos o homem à NOSSA imagem, con­for­me a NOSSA semelhança...


Lucas Cordeiro
Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo,
Mateus 28:19


CNN en Español.
Un indigente devuelve un anillo de diamante que recibió por error. ¿Si fueras tú lo devolverías? Esta es la historia: http://on.cnn.com/Y3AxTN
Un indigente devuelve un anillo de diamante que recibió por error. ¿Si fueras tú lo devolverías? Esta es la historia: http://on.cnn.com/Y3AxTN



Josiel Gomes Konoha
ahn? e o batismo são em três etapas ou eh śő uma?


NeTo Cris Machado
É mesmo Rodrigo Mourão Shay kkkkkkkk Pseudo Pseudo kkk


NeTo Cris Machado
Então Porque Pedro e os demais batizaram em nome de Jesus ?


Magalhães Luís
1 - EIS A RESPOSTA DO CRISTIANISMO ACADÉMICO: Tomás de Aquino escreveu que acerca de Deus tanto mais sabemos quanto mais nos apercebemos que excede tudo o que dele compreendemos. Numa experiência mística concluiu que tudo quanto tinha escrito lhe parecia palha seca e deixou a Summa Theologiae inacabada. A linguagem menos imperfeita para exprimir o acolhimento da fé é, sempre, simbólica, metafórica, a da beleza, a do amor e a da responsabilidade ética.

Magalhães Luís
2 - O dogma da Santíssima Trindade. Por sua causa, tanto o judaísmo como o islão não acreditam muito na autenticidade do monoteísmo cristão. Até para alguns cristãos é uma complicação desnecessária. O próprio pietista luterano, o filósofo I. Kant não via que se pudesse extrair qualquer coisa de prático dessa fé.

Tenho, no entanto, esta simbólica como fundamental para pensar e acolher as expressões do mistério de Deus e do mundo. Não é por acaso que a grande questão das nossas sociedades, a todos os níveis, é sempre a da unidade e a da pluralidade. Será possível viver juntos, respeitando e promovendo, ao mesmo tempo, a comunhão entre todos e a originalidade de cada um?

Se privilegiamos a pluralidade corremos o risco da fragmentação. Se sublinhamos muito a urgência da unidade, espreita-nos a uniformidade. A coincidência entre unidade e pluralismo parece um milagre sempre diferido. O pluralismo não é funcional e a unidade é sufocante, tanto na Igreja como na sociedade. Paulo gastou muita energia em encontrar metáforas que garantissem a coabitação da unidade e da diversidade dos dons, frutos do mesmo espírito, num só corpo com muitos órgãos e membros.
há 46 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
3 - Do interior da nossa real e incurável finitude, se não andarmos distraídos e não aceitarmos o baile de máscaras que nos inventaram, pode nascer a pergunta sobre o sentido da nossa existência. Recolho a de Wittgenstein:

“Que sei eu sobre Deus e o sentido da vida? Sei que este mundo existe. Que estou nele como o meu olho no seu campo visual. Que algo nele é problemático, a que chamamos o seu sentido. Que este sentido não reside nele, mas fora dele. (…) Ao sentido da vida, i. é, ao sentido do mundo, podemos chamar Deus e associar-lhe a metáfora de Deus como um pai. A oração é o pensamento do sentido da vida. (…) Crer em Deus significa compreender a pergunta pelo sentido da vida. (…) Crer em Deus significa ver que a vida tem um sentido.”[i]

Este filósofo procura entender a originalidade do jogo de linguagem próprio da religião, que não deve ser confundido com o da filosofia ou o da ciência: “se quem acredita em Deus olha em redor e pergunta: Donde vem tudo o que vejo?, Donde vem tudo isto?, não anseia por uma explicação (causal); a sua pergunta é, no essencial, expressão de um certo anseio. Ela expressa uma atitude face a todas as explicações.” O que confere o sentido às palavras é o seu uso e a prática que traduzem. [i] (L. Wittgenstein, Tagebücher 1914-1916, Werkausgabe, Vol. I, Suhrkampf: Francoforte, 1984, 167-8).
há 45 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
4 - A exegese histórico-crítica. O exegeta estuda os textos bíblicos como estudaria qualquer outro texto antigo, sem olhar para o estatuto religioso que os cristãos, os judeus e mesmo os muçulmanos lhe reconhecem. O exegeta cristão, ou judeu, ou muçulmano, usando um grande número de disciplinas, põe, provisoriamente, entre parêntesis a sua fé e deve tomar o máximo de precauções para não projectar as suas próprias ideias sobre o texto e para as não confundir com a Palavra de Deus.

Esta é, no entanto, para o exegeta cristão, apenas a primeira etapa. Deve ser seguida de uma segunda que consiste na apropriação do sentido dos textos e na sua actualização. Esta é a função da hermenêutica. Ao fazê-lo, o hermeneuta cristão fará obra de teólogo e de pastor.
há 41 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
Fase 2 » Os racionalistas rejeitam a doutrina da Trindade ou radicalmente mudam o seu significado. Os panteístas e teosofistas ensinam a Trindade como sendo uma representação da evolução de D-us. Os protestantes conservadores (os luteranos - fica de fora Kant, os calvinistas, não incluo aqui os calvinistas ingleses que são unitarianos e não trinitárianos, anglicanos/episcopalianos, os evangelicais ou igrejas livres) professam a doutrina tradicional. Os protestantes modernos liberais geralmente ensinam uma ""Trindade de Revelação": A paternidade/maternidade de D-us foi ensinada por Jesus Cristo; cujo Espírito reside nos seus seguidores. Os modernistas encaram o dogma como uma teoria judaico-helenística gradualmente elaborada durante os primeiros quatro séculos depois de Cristo (AD). Entre os mórmones vide: http://mormonlds-sud.blogspot.pt/2009/05/doutrinas-basicas-trindade.html
há 21 minutos  Gosto  Editar

Magalhães Luís
» Nos escoliastas do Magistério das Testemunhas de Jeová: Vide http://www.cacp.org.br/as-caracteristicas-jeovistas/ » Comentário do evangelical CACP: "Negam a doutrina da Trindade, afirmando que Jesus é uma criatura. Esta não é uma heresia nova, pois foi defendida por Ário, por volta de 323 dC. Afirmam que o Espírito Santo é a “força activa de Deus”, sendo assim impessoal. Desta forma, fecham os olhos a toda história da igreja primitiva, a qual era trinitariana." Vide o sítio oficial das TJs: http://www.jw.org/pt/
há 14 minutos  Editado  Não gosto  1  Editar






É quase inacreditável que esperem do MASHIACH a reconstrução de um templo físico! E que acreditem que voltarão a oferecer sacrifícios no templo! Mesmo tendo dito o profeta: Salmos: 50. 13. Comerei eu carne de touros? ou beberei sangue de bodes? Salmos: 51. 16. Pois tu não te comprazes em sacrifícios; se eu te oferecesse holocaustos, tu não te deleitarias. 17. O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus. Como podem esperar habitar SALÉM ainda sob o derramamento de sangue? Isaías: 66. 1. Assim diz o Senhor: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés. Que casa me edificaríeis vós? e que lugar seria o do meu descanso? 2. A minha mão fez todas essas coisas, e assim todas elas vieram a existir, diz o Senhor; mas eis para quem olharei: para o humilde e contrito de espírito, que treme da minha palavra. 3. Quem mata um boi é como o que tira a vida a um homem; quem sacrifica um cordeiro, como o que quebra o pescoço a um cão; quem oferece uma oblação, como o que oferece sangue de porco; quem queima incenso, como o que bendiz a um ídolo. Porquanto eles escolheram os seus próprios caminhos, e tomam prazer nas suas abominações. (O sacrifício foi consumado e o templo derrubado e reerguido diante dos vossos olhos). 1 Reis: 8. 27. Mas, na verdade, habitaria Deus na terra? Eis que o céu, e até o céu dos céus, não te podem conter; (...) o ALTÍSSIMO não habita em templos feitos por mãos humanas.




»»The New Encyclopædia Britannica diz: “Nem a palavra Trindade, nem a doutrina explícita, como tal, aparecem no Novo Testamento, e nem Jesus ou seus seguidores tencionaram contradizer o Shema do Velho Testamento: ‘Ouve, ó Israel: O Senhor, nosso Deus, é um só Senhor’ (Deut. 6:4). . . . A doutrina desenvolveu-se gradualmente com o decorrer dos séculos, enfrentando muitas controvérsias. . . . Por volta do fim do 4.° século . . . a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que desde então tem conservado.” — (1976), Micropædia, Vol. X, p. 126.
A New Catholic Encyclopedia diz: “A formulação de ‘um só Deus em três Pessoas’ não foi solidamente estabelecida, de certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do 4.° século. Mas, é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título o dogma da Trindade. Entre os Pais Apostólicos, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva.” — (1967), Vol. XIV, p. 299.
Em The Encyclopedia Americana lemos: “O cristianismo derivou-se do judaísmo, e o judaísmo era estritamente unitário [cria que Deus é uma só pessoa]. O caminho que levou de Jerusalém a Nicéia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de forma alguma refletiu com exatidão o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi, ao contrário, um desvio deste ensinamento.” — (1956), Vol. XXVII, p. 294L.
Segundo o Nouveau Dictionnaire Universel: “A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hipóstases ou pessoas divinas ensinadas pelas igrejas cristãs. . . . O conceito deste filósofo grego [Platão, do 4.° século AEC] sobre a trindade divina . . . pode ser encontrado em todas as religiões [pagãs] antigas.” — (Paris, 1865-1870), editado por M. Lachâtre, Vol. 2, p. 1467.
O jesuíta John L. McKenzie, no seu Dictionary of the Bible, diz: “A trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de ‘pessoa’ e de ‘natureza’, que são termos filosóficos gr[egos]; na realidade, esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que estes termos e outros, tais como ‘essência’ e ‘substância’, foram erroneamente aplicados a Deus por alguns teólogos.” — (Nova Iorque, 1965), p. 899.
há 11 minutos  Editado  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
Entre os unitarianos. ~» "Quando pessoas vêm a nós de outras tradições de fé, se assustam um pouco com o fato de haver tantas compreensões diferentes aqui. Certa vez, por exemplo, alguém me disse que imaginava que ser um Unitarista fosse não acreditar no dogma da Trindade, mas que quando conversou com algumas pessoas aqui, percebeu que muitos entre nós eram trinitaristas! Tive, então, de explicar àquela jornalista que o Unitarismo não se distingue de outras tradições cristãs por causa de sua compreensão de Deus ou de Cristo; o que historicamente nos distingue de outras tradições é nossa ênfase na liberdade de consciência! Essa liberdade de consciência, entretanto, se movimenta dentro da tradição cristã. Assim, podemos chegar a diferentes conclusões acerca da natureza de Deus, mas – em nossa tradição –, nossas conclusões serão articuladas numa linguagem cristã. Para nós, essa linguagem cristã inclui as Escrituras, a tradição da Igreja, a filosofia ocidental, as descobertas científicas, as artes modernas, e o Espírito que dá vida à busca humana por verdade.

Nesta comunidade, encontramos pessoas dos mais diferentes tipos, dos mais diferentes backgrounds sociais e teológicos. Aqui há não-trinitaristas e trinitaristas, teístas e não-teístas, crentes e agnósticos. Entre nós há aqueles que enxergam os elementos da Eucaristia que partilharemos em alguns minutos como apenas símbolos dum ofício realizado por Jesus há dois milênios atrás, e há outros que os veem como portadores da presença de Cristo entre nós. Alguns de nós falam em sacramentos, outros em ritos. Alguns estenderão suas mãos para partilhar do pão e do vinho, outros preferirão receber uma benção. Há até pessoas não-exclusivamente cristãs entre nós, já que alguns de nós mantemos laços com a tradição judaica – alargando nossa linguagem cristã para uma linguagem judaico-cristã!

Toda essa liberdade, que pode ser muito confusa para alguém que tem um primeiro contato com os Unitaristas, exige um grande senso de integridade intelectual de nossos membros! O Unitarismo não oferece respostas fáceis! Geralmente não falamos em milagres, em salvação, e em vida após a morte, com a mesma frequência ou o mesmo sentido que em outras comunidades. Daqui deste púlpito, geralmente não tratamos de temas dogmáticos, em grande parte, em respeito pelas diferenças de opinião entre nós. Quando um Ministro desta igreja fala sobre algo deste púlpito, ela ou ele tem a responsabilidade de lembrar-se da diversidade teológica entre nós, e falar num tom de respeito para com aqueles que são parte de nossa família, ao mesmo tempo em que é íntegra e íntegro a suas próprias convicções pessoais. E isso pode ser muito assustador para alguém que vem de outra tradição. Mas esse é o espírito desta comunidade!

Ser Ministro duma congregação tão diversa como esta nem sempre é a coisa mais fácil do mundo, mas é o desafio mais surpreendentemente maravilhoso que qualquer Ministro cristão – especialmente um Unitarista Anglo-Luterano como eu – pode experienciar. E, até onde posso perceber, é uma experiência surpreendentemente maravilhosa para a maioria daqueles que fazem esta pequena família. Espero poder encontrá-los em nossa próxima aula, e poder conversar com alguns de você mais de perto!

+Gibson

(Congregação Unitarista de Pernambuco, 11 de novembro de 2012)"
há 10 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
"A TRINDADE PARA OS UNITARIANOS.

§ 17. A doutrina da Trindade, como declarada nos credos de todas as assim-chamadas igrejas ortodoxas, é esta: que há três pessoas na Divindade – o Pai, o Filho, e o Espírito Santo – e que esses três são um Deus, o mesmo em substância, iguais em poder e glória, mas distintos pelas propriedades pessoais. O Credo Atanasiano é a fórmula mais distinta desta doutrina. Ele diz: “E a fé católica consiste em venerar um só Deus na Trindade e a Trindade na unidade, sem confundir as pessoas e sem dividir a substância. Pois uma é a pessoa do Pai, outra a do Filho, outra a do Espírito Santo; Mas uma só é a divindade do Pai e do Filho e do Espírito Santo, igual a glória, coeterna a majestade”.Esta doutrina ensina que o Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus; e ainda assim, não há três Deuses, mas um Deus. Cada um pode ser adorado separadamente. Cada um tem um trabalhado e um ofício separado, que não devem ser confundidos com aqueles dos outros, pois esta seria a heresia de Sabélio, que confundiu as pessoas. Mas não devemos dizer que eles são três pessoas, como Pedro, Tiago, e João; pois isto seria dividir a substância, que é outra heresia fatal.

Veja o “Catecismo de Westminster”, que é o credo da igreja Presbiteriana; o Credo Atanasiano, ainda lido ou cantado quatro vezes por ano na Igreja da Inglaterra; a Confissão de Augsburgo; e os credos de outras denominações ortodoxas.

§ 18. Os unitaristas rejeitam a doutrina eclesiástica da Trindade:

(a) Porque é ininteligível. Apesar de muitas tentativas terem sido feitas para explicá-la, nenhuma se provou satisfatória. Ela, portanto, permanece, mesmo pela admissão de seus defensores, um mistério; e um mistério é algo ininteligível, e, portanto, não pode ser um objeto de crença.

(b) Porque a doutrina da Trindade não é claramente ensinada em nenhum lugar do Novo Testamento. Isto é admitido por muitos trinitaristas honestos. Assim, Neander, um trinitarista, diz a respeito dessa doutrina: “Não é expressamente ensinada em nenhuma passagem particular do Novo Testamento” (História da Igreja, tradução de Torrey, vol. I. p.572.). Muitos testemunhos como esse podem ser invocados.

(c) Porque os textos citados em apoio à Trindade são inadequados ou irrelevantes. O famoso texto das Três Testemunhas foi demonstrado, de modo convincente, ser uma interpolação, que foi rejeitado pela maioria dos trinitaristas e omitido na Versão Revisada. A Fórmula Batismal (Mateus 28:19) e a Benção (2 Coríntios 13:13) são passagens frequentemente citadas como provas da Trindade. Mas em nenhuma delas é declarado que o Filho é Deus, ou que o Espírito Santo seja uma pessoa, ou que esses três sejam o supremo Deus único. Que essas passagens sejam constantemente citadas como provas da doutrina da Trindade mostra que nenhuma prova textual real pode ser encontrada no Novo Testamento. Elas podem parecer implicá-la para alguém que já acredita naquela doutrina; mas para aqueles que não acreditam nela, elas parecem um resumo da verdade que procede do Pai, o único Deus verdadeiro, por meio de Jesus Cristo, seu santo filho e o mediador de seu amor, e tornada parte da alma e vida pela influência interior do Espírito Divino.

(d) Porque há muitos textos no Novo Testamento, claramente opostos à doutrina eclesiástica da Trindade. Tais são os textos nos quais o Pai é chamado de único Deus; o que não poderia ser dito se o Filho também for Deus, e o Espírito Santo também for Deus. 1 Coríntios 8:5, 6: "É verdade que existem aqueles que são chamados deuses, tanto no céu como na terra, e neste sentido há muitos deuses e muitos senhores. Contudo, para nós existe um só Deus: o Pai”. Efésios 4:6: "Há um só Deus e Pai de todos, que está acima de todos, que age por meio de todos e está presente em todos”. João 17:3: Jesus ora ao Pai, dizendo: “Pai, chegou a hora!”, e imediatamente adiciona: “Ora, a vida eterna é esta: que eles conheçam a ti, o único Deus verdadeiro...”. Efésios 5:20: O Apóstolo diz aos efésios que eles “agradeçam sempre a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo”. Se o Filho fosse Deus, e se o Espírito Santo fosse Deus, seria nosso dever orar a eles também. Mas é ensinado que todas as orações sejam dirigidas ao Pai. Veja também Mateus 6:9; João 4:23, 16:23.

(e) Porque sabemos quando e onde a doutrina da Trindade começou, e como ela gradualmente tomou forma. No famoso Prólogo ao seu Evangelho, João opõe a ideia de que o Logos, ou Palavra, fosse qualquer outra coisa além do próprio Deus. A Palavra, ele nos diz, é Deus falando, primeiro, na criação - “Por meio dela”, Deus falando, “tudo foi feito”. Ele se refere aqui, sem dúvida alguma, às frases comuns do Antigo Testamento – Deus disse: “Haja luz”; “A Palavra do Senhor veio a Isaías”; etc. Segundo, a Palavra é Deus falando na alma – "Aquela era a luz verdadeira que ilumina todo homem que vem ao mundo”. Terceiro, a Palavra é Deus revelado em Jesus - “A Palavra se fez homem e habitou entre nós”. Ele, assim, ensina que como Deus fala na criação e fala na razão humana, ele também fala em Jesus mais clara e plenamente. Mas, como para evitar a possibilidade de ser entendido como se tivesse dito que Cristo era Deus quando ele, na verdade, diz que Deus está em Cristo, ele adiciona: “Ninguém jamais VIU a Deus”.

Este conceito de Cristo como um Logos, ou Palavra de Deus, ou uma revelação de Deus, continuou a ser ensinada até o tempo do Sínodo de Niceia (325 A.D.). o Credo Apostólico, que em sua substância data de um período muito antigo na história cristã, não contém nenhum traço da doutrina da Trindade. Ele chama Deus de “Pai onipotente, Criador do céu e da terra”. O Credo Niceno, na sua forma original, não conhece nada a respeito da Trindade. Ele chama Jesus de “Deus”, mas fala dele como Deus de Deus, significando “Deus derivado de Deus”, e assim torna sua divindade derivada e dependente. E não foi até o ano 380, depois de muita controvérsia e disputas partidárias, que a doutrina da Trindade foi estabelecida na Igreja. No ano 383, Teodósio, o Imperador, ameaçou punir todos os que não aceitassem esta doutrina." http://cristianismoprogressista.blogspot.pt/2008/12/manual-de-crena-unitarista-james.html
há 7 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
Jabez Thomas Sunderland (1842-1936)

“...estejam sempre prontos a dar a razão de sua esperança a todo aquele que a pede a vocês.” - I Pedro 3:15

Unitaristas não possuem credos. Nós temos, entretanto, um princípio central, e todas as nossas crenças distintas emergem deste princípio. Qual é este princípio? Provavelmente noventa e nove em cada cem pessoas diriam que seja nossa noção da Unidade de Deus em oposição à noção da Trindade. De maneira alguma. Essa não é a idéia central de onde nosso Unitarismo tem emergido. É verdade que foi isso que nos deu o nome de “Unitaristas”. Mas há algo muito mais profundo que isso, no qual nossa existência como um corpo ou movimento se enraíza. Essa coisa mais profunda e central é nossa crença na harmonia eterna e essencial entre a religião e a razão, ou, talvez melhor, na necessidade de sempre interpretar a religião à luz da razão, ou, possivelmente melhor ainda, na aplicação do método científico à religião. Esta nossa crença fixa e inerradicável é a chave, e a única chave para o Unitarismo.

É verdade que como corpo, cremos na unicidade e não na trindade de Deus. Mas cremos nisso porque nosso princípio de interpretação religiosa à luz da razão, ou da aplicação do método científico à religião nos compele a crer assim. A Bíblia, estudada à luz desse princípio, não ensina a respeito de nenhuma trindade, mas sempre e em todo lugar, um Deus, e apenas um.

Saindo desse grande livro que nos veio por meio dos judeus, e que chamamos de Bíblia, e indo para aquela outra grande “bíblia” de Deus, o Livro da Natureza, que a ciência tem lido tão rapidamente, não encontramos lá nenhum traço de mais de um Deus. Em todo lugar da natureza há unidade, correlação, harmonia de desígnio e de ação, que nos conta a respeito de uma Sabedoria e Poder suprema, indivisa, que está acima de tudo, abaixo de tudo, além de tudo. E não há nenhum traço em lugar algum de um segundo ou terceiro Ser.

Quando vamos para as mitologias pagãs, e para as especulações e noções cruas de homens que viveram nas eras antigas, escuras, e não-científicas, então encontramos traços de uma pluralidade de deuses – dois, três, uma dúzia, qualquer número. Na Pérsia encontramos dois deuses; no Egito e na Índia encontramos trindades; na Grécia, dos grandes deuses do Olimpo, encontramos doze; na Escandinávia encontramos também doze deuses principais; enquanto entre muitos outros povos da terra encontramos milhares e milhões. Mas essas mitologias não passam pela aplicação dos métodos científicos de investigação. Examinadas com o cuidado, atenção e imparcialidade com as quais a ciência investiga todas as coisas, essas mitologias se desfazem no ar; e todos os traços dos milhões de deuses, ou da dúzia de deuses, ou da trindade de deuses, ou da dualidade de deuses, passam, e permanece apenas o único “Deus”, que a Bíblia ensina, que a natureza em todas as suas unidade maravilhosas proclama, que Jesus adorou.



Magalhães Luís
Aqui, então, você vê porque cremos em um Deus, e apenas um, e nos encontramos compelidos a rejeitar todas essas noções mitológicas de pluralidades de deuses, tomem essas pluralidades a forma de uma trindade ou de qualquer outro número. Temos que crer da forma que cremos, ou abandonar nosso princípio fundamental – nosso princípio distintivo – ou seja, que a religião é uma coisa de luz, e não de escuridão; uma coisa para ser investigada, julgada, interpretada à luz da razão.

Uma outra doutrina abraçada por uma crescente proporção dos unitaristas é a doutrina de que Jesus não era Deus, nem um ser meio Deus e meio homem, mas que ele tenha sido simplesmente um homem – um grande e providencial homem, que surgiu para fazer uma obra religiosa para o mundo, uma como a que Homero fez para o mundo na poesia, ou Platão na filosofia, ou Bacon na ciência. Um homem continental, um Mont Blanc dentre os homens, mas ainda assim apenas um homem. Por que cremos nisso? É essa uma doutrina que o Unitarismo no começo estabeleceu como um postulado, dizendo: “Tornarei esta uma de minhas bases, que a ninguém será permitido mover”? Não, de forma alguma. Nada assim foi feito. Ao contrário, esta doutrina, como aquela mencionada antes, da unidade de Deus, resultou do princípio de que religião verdadeira deva ser racional, e de que o método científico deva ser aplicado à religião como a qualquer outra coisa. Ao aplicar este princípio, o resultado foi inevitavelmente alcançado, apesar de tê-lo sido feito relutantemente. No começo muitos unitaristas pararam na casa do meio, e disseram que Jesus, apesar de não ser Deus, era um super-humano – um ser angélico ou super-angélico. Na verdade, muitos ainda abraçam esta doutrina a seu respeito. Mas para mim, esta doutrina parece, no mínimo, ilógica; nosso princípio a condena a desaparecer. Todas aquelas pessoas no mundo que acreditariam numa religião irracional como sendo racional, e que dizem que a religião seja algo sobre a qual não se deva aplicar os métodos científicos de investigação, quase que certamente continuarão a crer que Jesus Cristo era Deus; mas aqueles que não conseguem consentir no divórcio entre a religião e a razão, e que se mantenham fiéis ao princípio de que a religião apenas se mostre mais claramente verdadeira se for examinada mais profundamente, creio que não possam discordar da posição que declarei ser a posição unitarista legítima, a de que Jesus foi um homem – um grande e providencial homem, que veio no tempo de Deus para levar uma grande parte da raça à uma religião mais pura e melhor do que o mundo tinha conhecido antes.

O passado distante do Velho Mundo, como temos aprendido das pesquisas dos estudiosos nos campos da filosofia e da história antiga, e das literaturas e religiões dos antigos povos da Europa e da Ásia, está cheio de relatos de encarnações, concepções miraculosas, deuses habitando na terra, homens descendendo dos deuses, seres metade homens e metade deuses, e coisas do tipo. Mas não nenhuma delas que resista ao toque da investigação científica cuidadosa. Descobre-se que esses contos são meros mitos e fantasias de uma era crédula e não-científica. Da mesma forma, as noções da Cristandade de que Jesus tenha sido concebido miraculosamente, e que descenda de Deus sem que tenha um pai humano, e que seja uma combinação do infinito Deus e de um homem finito, não passam pelo teste de uma crítica confiável. Há pouquíssimas passagens no Novo Testamento que, sob qualquer interpretação sensata, possam dar o mínimo de apoio a tais noções a respeito de Jesus. E as poucas que há podem certamente ser consideradas errôneas mais facilmente do que podemos supor que coisas tão anormais tenham ocorrido, tão contrárias à toda a experiência humana. Certamente não é científico nem racional rejeitar como algo não digno de investigação cuidadosa as narrativas hindus de encarnações, e as narrativas gregas de personagens meio-deuses, meio-humanos, e ao mesmo tempo, com as evidências insignificantes que temos (que muitos dos melhores estudos e críticas de nossa era declaram não ser evidência alguma), continuarmos afirmando que houve uma encarnação real do Grande Jeová dentre os judeus da Palestina, e que Jesus era Deus e homem.
há 6 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
Mas não vou me alongar neste ponto. O meu pensamento simples é que a ideia que nós Unitaristas temos a respeito de Jesus não é uma ideia que delimitamos como parte de um credo imposto que construímos para nós mesmos, ou qualquer outra coisa deste tipo. É simplesmente a ideia à qual nosso o princípio (que a religião e a razão devam andar de mãos dadas em todas as circunstâncias e que o método científico deva ser aplicado à religião como a qualquer outra coisa) tem irresistivelmente nos levado. Em outras palavras, o nosso Jesus, como afirmamos, é o Jesus da história verificada, o Jesus da investigação, o Jesus da razão, o amoroso, sábio, devoto, heróico, o Jesus-homem grandiosamente inspirado, que permanece depois de as nuvens que a superstição, e mito, e especulação teológica ao seu redor tiverem desaparecido – e ele mesmo, em seu próprio ser apareça.

Outra doutrina que nós Unitaristas temos em comum é a doutrina da dignidade da natureza humana – a doutrina de que o homem por natureza não é corrupto, depravado, nem incapaz de fazer qualquer coisa agradável ao céu – mas que ele tem em si mesmo naturalmente muita coisa boa. Por que cremos nisso? Porque os fatos nos compelem a fazê-lo. Olhamos para nossa própria terra, não apenas dentro das igrejas, mas fora delas, não apenas dentre cristãos professos, mas dentre aqueles que não professam nenhuma religião; não, olhamos para além de nossa própria terra, até mesmo para países onde o Cristianismo, como tal, é desconhecido, e em todos os lugares vemos homens e mulheres praticando ações benignas, amorosas, belas, nobres – os tipos de ações que Jesus sempre ordenava, os tipos de ações que chamamos de cristãs quando vemos serem praticadas por outros cristãos professos. Nós Unitaristas afirmamos, portanto, que elas sejam essencialmente ações cristãs, e que a religião pura e o verdadeiro cristianismo sejam algo nativo ao coração do homem. Dessa forma, a humanidade não pode ser por natureza – como as Confissões de Fé de pelo menos duas das principais denominações ortodoxas do país afirmam - “morta no pecado, completamente maculada em todas as suas faculdades e partes da alma e do corpo”, “oposta a todo o bem, e plenamente inclinada ao mal”. Dizer isso é contradizer não apenas os melhores ensinamentos da Bíblia, mas também os fatos como estes aparecem em todos os lugares da terra aos olhos de todo homem não-preconceituoso.

Outra doutrina que nós Unitaristas abraçamos é a de que a Bíblia não seja um livro homogêneo, com todas as suas partes sendo de igual valor, mas que ela seja uma coleção de muitos livros, escritos em épocas muito diferentes, e por homens diferentes, e por diferentes motivos, e que sejam de diferentes níveis de exatidão e autenticidade, e que com o passar das eras estes livros se juntaram em sua forma presente, e que ninguém saiba exatamente como; alguns dos livros se ocupam principalmente com genealogias hebraicas e tais coisas que não poderiam ser de muito valor fora do povo judeu; outros daqueles livros contêm relatos e declarações que nossa ciência moderna nos diz não poderem ser possivelmente corretos, e que somos, portanto, obrigados a descartar; outros, ainda, como os Salmos, o Livro de Jó, Isaías, os Evangelhos, e algumas das Epístolas de Paulo, estão repletos das maiores e mais elevadas verdades e inspirações religiosas que Deus deu ao homem. Então, vamos à Bíblia como a uma mina de ouro – não querendo dizer com isso que tudo que encontramos lá seja como ouro, mas admitindo livremente, como a investigação honesta e cândida nos compele a fazer, que algumas das coisas que encontramos sejam pedras, e um pouco de areia, e um pouco do quartzo que segura o ouro, enquanto que outras coisas – e uma grande quantidade – é o próprio ouro, precioso e indestrutível. Isso é o que nós, como Unitaristas, cremos a respeito da Bíblia.
há 5 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
E por que cremos nisso, em vez de crermos na teoria “ortodoxa” predominante da infalibilidade perfeita de todas as partes e palavras da Bíblia? Simplesmente porque não há nenhuma outra alternativa para nós. Somos obrigados a crer nisso, caso contrário fecharíamos nossos olhos e nos recusaríamos a receber a luz que a ciência e os estudos nos estão trazendo.

Nós Unitaristas também abraçamos uma doutrina diferente a respeito de Revelação da que geralmente é abraçada em outras denominações. Cremos que Deus não tenha se revelado simplesmente uma vez, e isso no passado distante, mas que Ele tem se revelado sempre desde o início da história humana, e que ainda esteja se revelando – na Bíblia, em outros grandes livros das eras, na história humana, em toda a natureza desde o grandioso sol ao menor dos insetos, na mente e no coração humanos, e que com o passar das eras, com o crescimento da ciência, com o homem alcançando realizações mais elevadas na civilização e na cultura espiritual, Ele se revelará ainda mais.

Outra de nossas doutrinas é a que a inspiração não seja algo trancado em um livro, ou confinado a qualquer era ou povo, mas é uma coisa perpétua e viva, pertencente a todos os tempos e a todos os povos, que agora, hoje, e aqui na América, da mesma forma como há dois ou três mil anos, ou na Palestina, o Infinito Espírito de Sabedoria, e Amor, e Paz aguarda vir com sua inspiração a toda alma devota e sincera.

Outra doutrina nossa é que a salvação não é algo que possa ser transferido de uma pessoa a outra, ou que possa ser comprado para nós por qualquer ser exterior a nós próprios. Em vez disso, a salvação é uma questão de caráter e vida, que cada homem deve realizar por si próprio. A virtude é salvação; o vício é perdição. Todo homem é responsável por si mesmo, e sua culpa não pode ser transferida para outro. Deus não pode manter toda a raça humana culpada pelo que Adão fez – é inacreditável. Mesmo que Jesus não tivesse guardado as leis de Deus tão perfeitamente, isso não teria teria nenhum peso para ninguém mais a não ser ele mesmo. Ser salvo não é aceitar um acordo, mas obedecer todas as leis do seu próprio ser – físicas, mentais, morais, espirituais. E tal obediência não assegura uma salvação em um céu distante apenas. É salvação aqui e agora.

Outra de nossas crenças é que “Deus é o mesmo ontem, hoje, e sempre”, e que, portanto, se Ele é complacente com todos os seus filhos humanos agora, neste mundo, Ele não será menos complacente conosco no próximo mundo. Se Ele é o Pai de todos nós aqui, Ele será o Pai de todos nós lá, e nada jamais poderá nos arrancar de Sua mão ou Seu coração.
há 5 minutos  Não gosto  1  Editar

Magalhães Luís
Outras doutrinas nos diferem em grau maior ou menor de outras seitas ao nosso redor, mas essas que mencionei são as principais. Estas dão uma idéia tão boa quanto possível para eu dar do que é que defendemos como um grupo. Como disse, nosso princípio central é que o mesmo Deus que fez nossas mentes e ordenou-as a pensar, que fez nossos corações, e ordenou-os a amar e adorar, e que nenhuma religião pode possivelmente ser verdadeira se não passar pelo teste da investigação, e cuja divindade não se torna mais aparente ao se jogar sobre ela toda a luz que pudermos conseguir. Cremos ser a ciência tão amiga da verdadeira religião quanto inimiga da falsa religião e da superstição. Cremos ser a razão um dom de Deus, e não do diabo, e algo que nós não apenas podemos, mas devemos exercitar em se tratando de religião, ou afundaremos em superstições tão falsas quanto o inferno – e que insistem em chamar de religião. E tenho me esforçado para mostrar que todas as nossas doutrinas a respeito de Deus, e Jesus, e da Bíblia, e da revelação, e da inspiração, e da salvação, e das recompensas e punições da próxima vida, e de todos os outros temas do pensamento religioso, vêm diretamente deste único e grandioso princípio nosso – de, como Paulo diz, “provar todas as coisas, e se agarrar àquilo que for bom”, ou, como declarei neste discurso, “aplicar o método científico” a todas as coisas, incluindo a religião.

Assim vemos que, apesar de o Unitarismo não ter credos, e trabalhar pouco para mero engrandecimento denominacional, e não ter se estabelecido no princípio como uma seita ou fazer a obra de uma seita, mas para realizar a obra de purificação e reforma que deveria alcançar todas as seitas, e afastar-lhes todas de seu sectarismo para algo que fosse maior, mais refinado, e mais permanente, por ser mais natural que quaisquer sectarismos jamais poderão ser, ainda assim, por ter baseado suas reformas animadas e governadas por um princípio central, chegou logo a uma unidade essencial de visões teológicas – uma unidade que sempre manteve, e que deve sempre manter, pois religião interpretada pela razão, ou religião submetida ao método científico, leva necessariamente, como cremos, ao que são essencialmente essas doutrinas das quais falei hoje.

Você duvida que leve a isso? Veja as provas disso dentre as próprias denominações ortodoxas. Diga-me, a ortodoxia da qual ouvimos hoje é a mesma ortodoxia da qual costumávamos ouvir, digamos, vinte anos atrás? Não houve nenhuma mudança? Nenhuma doutrina foi suavizada? Nenhuma caiu para o plano de fundo? Nenhum avanço teológico foi feito? Todos sabemos que houve uma considerável mudança, um considerável avanço teológico, nos últimos vinte anos, e isto, apesar dos esforços opostos mais determinados e persistentes dos teólogos, dos pregadores de mentes mais estreitas e ultra-evangélicos e dos editores das várias seitas ortodoxas, e especialmente dos revivificadores. Em qual direção rumou o avanço? Tem ido, cada parte dele, exatamente em direção ao Unitarismo. A ortodoxia deste país hoje está mais próximo do Unitarismo que era há vinte anos atrás.

E por que não estaria? Não é esta a era científica? Não é uma era de investigação? Não é uma era na qual se está desacorrentando a razão, como nenhuma era anterior jamais foi capaz de fazer? Por que, então, esperar que quaisquer mudanças teológicas que ocorram sigam qualquer outra direção além daquela teologia particular que veio a existir como uma teologia racional – aquela teologia particular que surgiu da grandiosa idéia central da razão na religião?
E assim, amigos, como o Unitarismo hoje se projeta ao futuro, vocês duvidam que ele seja pleno de esperança?

Não que nosso nome, Unitarista, seja algo que necessariamente deva sempre permanecer. Estou disposto a pensar que não permanecerá. Já que, realmente, esse nome não é adequado – é muito estreito para designar propriamente o grande movimento e princípios que defendemos. Tão correto quanto vá: não vai muito longe; não é amplo o suficiente, tem uma aparência muito sectária. Esta é a razão pela qual tão freqüentemente nos designamos por outro nome um tanto mais amplo, Cristãos Liberais. O nome que eu mesmo prefiro, por pensar que nos descreva muito melhor que qualquer outro, é o nome Cristãos Racionais. Entretanto, nomes significam muito pouco neste mundo. A coisa é o que queremos. E a coisa que o nome Unitarista, ou Universalista, ou Cristão Liberal, ou Cristão Racional, ou qualquer outro nome que possa ser aplicado significa, essa coisa não passará; essa coisa, com o aumento do conhecimento, e com o domínio maior da ciência, e com o avanço da civilização, e com a razão se tornando cada vez mais o guia das vidas dos homens, deve se tornar a herdeira do futuro.

CHICAGO, Julho de 1876.
há 5 minutos  Não gosto  1  Editar

Palavra Académica »» O cristianismo hodierno não caiu do céu nem é o resultado de qualquer decreto fundador, elaborado por Yeshua (Cristo). Surge de um processo conflituoso que vai, grosso modo, dos anos 30 aos finais do século II. Na fonte, está o impacto decisivo que Jesus produziu nos seus seguidores e que pôs em movimento uma série de grupos diversos que se vinculavam com ele, ainda que de modos diferentes.

Irrompeu na Palestina, mas com os judeo-helenistas (e Paulo) tornou-se um movimento universal. A investigação mostra que o cristianismo das origens era bastante mais plural do que o cristianismo do nosso tempo.

Neste contexto, usa-se a palavra ecclesia para designar o grupo daqueles que se dizem seguidores de Jesus e a palavra cristianismo refere-se mais à cultura que tem a sua inspiração nos valores evangélicos, penetrando no Império Romano, muito antes de contar com o apoio imperial. Jesus morre no ano 30/33 e o Édito de Constantino é só dos começos do século IV. O processo do cristianismo está, praticamente, concluído no século II, quanto aos seus elementos organizativos, às suas Escrituras e aos seus ritos próprios. É, pois, muito anterior ao apoio imperial. A ortodoxia surge, sobretudo, com os concílios ecuménicos. O primeiro foi o de Niceia (325) e esse, sim, já conta com o apoio de Constantino, mas as orientações fundamentais já estavam tomadas.

Pergunta-se, com frequência: afinal, porque é que o cristianismo triunfou? A resposta mais directa seria a seguinte: num momento de crise da ideologia oficial, dispunha de comunidades socialmente heterogénias, culturalmente mestiças, que ofereciam identidade e ajuda material. Isto tudo junto representava uma certa novidade na história. Eram comunidades que, por um lado, desenvolveram, muito cedo, capacidade de diálogo com as elites culturais e, por outro, tinham um sistema sacramental que oferecia um clima de acolhimento, inclusive emocional, para a gente mais simples.

3. Donde virá, agora, tanto interesse pelo estudo das origens do cristianismo, sendo os seus paradigmas culturais tão diferentes dos nossos? É verdade que o paradigma cultural em que se expandiram as primeiras comunidades e aquele em que vivem os cristãos no nosso mundo globalizado é completamente diferente, mas nem por isso perderam capacidade de nos interpelar.

No cristianismo das origens, as comunidades eram muito participativas, com grande capacidade de acolhimento e integração da diversidade. São o contrário do pensamento único. Existe, também, nos testemunhos desse começo, inspiração e possibilidades que nunca se desenvolveram. O impressionante protagonismo das mulheres, por exemplo, ficou quase inédito no cristianismo posterior.

R. Aguirre observa que se continua a insistir demasiado na Igreja “mãe e mestra” e pouco na sua condição de irmã de toda a humanidade com a qual deve caminhar. Se a Igreja tem muito a dizer, também tem muito a aprender. Para reencontrar a sua proposta, tem de desenvolver uma nova capacidade de escuta. O diálogo não é uma táctica. É o espelho da nossa condição na sociedade e na Igreja.

Hoje, perante as inumeráveis vítimas da crise do império universal da especulação financeira, que sugere o espírito de Cristo ou Yeshua às Igrejas/Congregações, a nível local e global, para descobrir os caminhos de uma nova cultura de solidariedade, agregando todas as pessoas de boa vontade?



(1) Así empezó el Cristianismo, Verbo Divino, 2010


Sem comentários:

Enviar um comentário

Shalom! Welcome to CAV Reformed Theology

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.




Uma identificação última com a essência fundamental das igrejas ou espiritualidades não significa, de modo nenhum, que estejamos de acordo com todas e cada uma das coisas que se fazem nelas.

O teólogo K. Rahner escreve: 
"O autêntico dogma nas Igrejas constitui algo que me obriga absolutamente. Como cristão e como teólogo, com certa ansiedade de espírito e coração, devo perguntar-me - com não pouca frequência - qual é o verdadeiro sentido de uma afirmação que o magistério das Igrejas mantêm como dogma, para lhe dar o meu assentimento de modo honesto e tranquilo. 

"Ao longo da minha vida nunca senti que isso fosse impossível. Em relação a esses dogmas, dei-me conta, claramente, que só podem ser bem entendidos quando se torna patente o seu sentido na linha da abertura ao mistério de D-us, sabendo, por outro lado, que foram formulados em condicionamentos históricos determinados. Esses dogmas encontram-se inevitavelmente numa espécie de amálgama que, de facto, não pertence ao conteúdo da declaração dogmática e que pode mesmo levar a que esse conteúdo seja mal interpretado. Isto acontece também porque esses dogmas estão formulados como regulações linguísticas que, para serem fiéis à realidade a que aludem, não deveriam permanecer sempre iguais, nem com as mesmas palavras com que foram formulados. 

"As coisas são diferentes quando se trata deste ou daquele ensino mantido pelo magistério como oficial, apresentado como vinculante, mesmo que não tenha sido 'definido'. Julgo que, por exemplo, nem a argumentação básica nem a autoridade de ensino das Igrejas a que, de facto, se recorre oferecem um fundamento convincente e obrigatório para aceitar a discutida doutrina católica de Paulo VI na 'Humanas Vitae'. O mesmo se diga acerca da declaração feita pela Congregação Católica da Doutrina da Fé que pretende excluir, por princípio, a ordenação de mulheres, como algo a aplicar em todos os tempos e culturas" (cf. "Scriften" XIV, 1980).

Labels

"Only the Father" (1) “Temendo a Deus” (1) 1 (1) 180 grados (1) 4 Pontos do Novo Calvinismo (1) 5 Ways You Will Be Mistreated (1) a comunidade ao mesmo espírito. (1) A IMPOSSIBILIDADE LÓGICA DE JESUS ('YESHUA') (2) A lo Cielo con ustedes (1) A MAIS BELA FLOR (1) A MINHA DESPEDIDA DO CONSERVADORISMO (1) A mulher de Jesus e o Próprio Jesus (1) A ORIGEM DO MAL (1) A palavra El (1) A palavra Ιησουα é feminina (1) A Partícula de Deus (1) A Tradição Adâmica (1) A VERDADEIRA FIDES (3) A vida foi feita para ser vivida (4) A vida foi feita pra ser vivida (1) A Vida Oculta de Jesus (2) Abalemos as Nossas Instituições Divididas (2) Abraão (1) acaba induzindo (1) Adam (1) Adam Harishon (1) Adam Kadmon (1) Adão e Eva (1) ADELE (1) Adjetivos a YHWH (1) ADN (1) Afetos (2) Aliens (1) ALMA (2) AMAR INCONDICIONALMENTE É UMA ARTE (3) Amen (1) AMIGOS (2) Aminata - Um caso de Mutilação Genital | Circuncisão na Alemanha (1) AMOR À INÊS (1) AMOR DE MANINHA (1) AMOR IDIOTA (1) Andre Luchi - Deep Inside Ft. Priscila Prix (Andre Motta Funk Side Mix) (1) Anselmo Borges (3) ANTENA 3 TV AO VIVO (1) Antropologicamente Profundo (1) Apocalipse (1) Apologética Judaicas (1) Arcanjo Gabriel (1) Arcanjo Miguel (1) Armageddon (2) Armindo dos Santos Vaz (4) Arrebatamento (1) ASCO DE VIDA (1) Asham (1) Assexualidade Mística e o Arrebatamento (4) Auto-conhecimento (2) Baal (1) Baptismo (1) Batistas (1) Belém (1) Bíblia (5) BÍBLIAS HEMEROTECA (1) BÍBLIAS HEMEROTECA - EM BUSCA DA VERDADEIRA TRADUÇÃO | Tradução Correta do NT (3) BIBLIOTECA DE TEOLOGIA E EXEGESE ECUMÉNICAS - LINKS (1) BIG BANG (4) Bispas (1) Bispo Aprigio e o Apocalipse (1) Blogues (1) Braga e os Bispos (1) Buenas noches y Buenafuente 1x06 HD | 20/05/2012 | Completo (1) Cabras a cantar são nova sensação do YouTube (1) CALACUS (2) Calvinismo (4) Calvino (1) Caparot (1) Capitalismo não ético (1) Caraítas (2) Carman (1) Carmelitas. Uma vida de oração (1) CARREIRA DAS NEVES (1) Carta aos Hebreus contestada (1) Carta de Deus (1) Carta do HaShem (1) Carta do HaShem a um yehud antinomiano (1) Casa de José (1) Casa de Judá (1) Casamento Judaico (1) Catequese (1) Catequese - Lições (2) Católicos tradicionalistas (1) Cauvinismo (1) CBN LIVE (1) Céu (2) Christianity (1) Ciência (1) CINA (1) Ciúmes (2) Comensalidade (1) Community (1) Compaixão (1) Conservative Judaism (1) Consultório Sexual (3) Contraditório Judaico ao B´rit Hadashah (1) Conversão (2) Conversas com a Nilce (1) Corpo de Deus (1) Criação (1) Cristianismo Progressivo (3) CRISTIANISMO TRINDADE E MITRAÍSMO (1) Cristianismo versus Judaísmo (1) Cruz (1) CUIDADO COM QUEM ANDA - AMISH GRACE - FILME SOBRE A FÉ AMISH NO MOMENTO DA MORTE (1) Culinária (1) D-us morreu no Holocausto? (1) D'us (1) D'us Ele-Ela (1) DAM (1) DAVID É O MESSIAS REENCARNADO (1) de Sandi Dubowsk (1) Debate (4) Debate: Israel não havia quebrado a aliança antes da vinda de Jesus (1) Debates de Afecto Com Uma Feminista (3) DEFICIENTES (1) Deificação (3) Deus (2) Deus Ele - Ela (2) Deus. (1) DEZ MANDAMENTOS (3) Diálogo com o Judaísmo (2) DIÁLOGO ENTRE ATEUS E CRENTES (2) DIÁLOGOS COM O MEU PASTOR BATISTA (1) DIÁLOGOS DE POESIA (2) Disciplina (1) Dízimo (2) DOES JUDAISM NEEDS G-D? (1) e não observada. Não seja plateia (1) É razoável acreditar num Deus? (1) e sim ator. Porém (1) Easter (1) Echad (1) Economia (2) ECUMENISMOS (1) Ed René Kivitz (1) Efraim (1) Eibissa (1) El Cristianismo y las grandes religiones (1) El Hijo de DIos - Teaser Western bíblico futbolero (1) Élder Luís Magalhães Apresenta Judaísmo e Osho (1) Elias (1) EM BUSCA DA BÍBLIA (1) EM OBRAS (1) Emoções (1) Enoch (1) Equality & Gender Issues (1) Escatologia (6) ESCATOLOGIA CRISTÃ (5) ESCATOLOGIA JUDAICA (5) Escatologia Judaica Crente em Yeshua (3) Escatologia Muçulmana (1) ESCOLA DE TEOLOGIA (1) ESCOLA DE TEOLOGIA E BIOLOGIA (1) Escórias (1) Estatísticas (1) ET'S (1) Ética (1) Eunuco (1) Evolução (1) exegese (1) Existe uma guerra espiritual como é interpretada em Efs 6:12? (1) Experiências após a morte (1) Ezequiel 23:20 em Mazal (1) Ezequiel 28 (1) Falo (1) Famílias (1) Fátima (1) FAV TWEETS (1) Feminismo (1) Festas (2) FILISTEUS (1) Filmes místicos (1) Find people who care much more about works of compassion and about inner spiritual growth than they do about doctrines. (1) Frei Bento Domingues (2) FUN AND SPORTS (2) FUTBOLEROS TV (1) Gays (1) Genealogia (2) Génese (1) Genesis (1) GÉNESIS 1-3 (5) GÉNESIS 1:1 (1) Genizah (1) GEOLOGIA (1) GLBT (9) GLBTI (2) Gnosticismo (1) Guehinom (1) Guerra (1) Guerras (1) Guilgul Neshamot (2) HA Satan (2) Hades Intermediário (1) Halal (1) Hans Küng (1) HaShem (1) Hassidismo (1) HEMEROTECA DE EBOOKS (1) Hesed (1) Hora do Enterro de Jesus (1) HUMOR (2) Humor bizarro (1) Identidades religiosas em Portugal: identidades (1) Idolatria (1) IGREJA DE INGLATERRA (1) Igreja Evangélica (1) Igreja Ortodoxa (3) iguais-aos-Apóstolos (1) Illuminati (1) Imagens (2) iMissio (1) Imortalidade (2) improvise. (1) Impureza (1) Índice (1) INFERNO (4) Inquisição Católica (1) Inquisição Protestante (1) Inquisições (1) Intercessão (1) INTRO (1) Irmãos de Jesus (1) Isa (1) Isaac (1) Isaías 9:6 (1) Islam (2) ISRAEL (2) Javá (1) Jean Cauvin (1) Jesus (7) JESUS ANTES (1) Jesus Cristo - um presente dos gregos - Ivani de Araujo Medina (1) Jesus Cristo Presente Dos Gregos (1) JESUS DEPOIS.... (1) JESUS E AS RELAÇÕES DO MESMO SEXO (1) Jesus e o Centurião (1) Jesus foi preso na noite de terça-feira (1) JESUS NÃO DESCENDE DE DAVID (1) Jesus um Plágio? (1) João 1 (1) João 1:1 (3) JOÃO 1:1 Mateus 2:23 Isaías 53 (3) JUDAÍSMO (7) Judaísmo 101 (3) Judaísmo Humanista (1) Judaísmo Liberal (2) Judaísmo Trinitariano vs Judaísmo Monoteísta Puro (1) JUST LIVE LIFE (1) Kabbalah (4) La Historia de la Religión en 1 Minuto (1) Laicidades (1) Lapidação (1) Leandro Lima - Uma Defesa do Batismo Infantil e por Aspersão (1) LECTIO DIVINA (1) Lefebvrianos (1) LEI DE NEWTON (1) Leis e costumes de Iom Kipur (1) Leis Noahides (1) LGBQ (1) LIBERALISMO (1) Lilith (4) Links (1) LOGOS FM (1) LUTERO 2016 (1) Lutero e o Mal (2) MACEDO DE CAVALEIROS (1) Maçonaria (2) Mahdi (1) Mal (1) Malkitsdec (1) MANIF (1) MANTRAS (1) Mário Soares (1) MAS APENAS O PRIMEIRO HEBREU - J. Herculano Pires e Anselmo Borges (1) mas um problema (1) masculina ou neutra ou dual? No meu link da SEPTUAGINTA (1) Mashiach Ben Constantinus (1) Massiach (1) Masturbação (1) MATEUS 16:20 (1) Mazal (8) MAZAL HOJE - O DIABO | AS RELAÇÕES HUMANAS | O CRIACIONISMO (2) Medula Óssea (1) Meet the Amish (1) Melania Trump (1) Mesopotâmia (1) Milénio (1) Mística (2) mística nupcial (1) Mitch Hedberg (1) Mitos sexuais (2) MOMENTOS DE FÉ E COMPAIXÃO (1) Monja (1) MONOGAMIA | PRAZER | ROMANTISMO (1) More Ventura Twitcam (1) Moré Yossef Felix (1) Morte (2) Mortes (1) Mudanças (1) mulher (1) Mulher Segundo o Judaísmo Bíblico (1) Mulheres (1) MÚSICA (2) Música Judaica (1) não ensaie (1) não existe Neemias 11:16 (1) Nascimento de Jesus (1) Nascimento Virginal (1) Nasi (1) Nazoreu (1) NDE (2) Near Death Experience (1) nem Adão (1) Nem Eva (1) nem pecado original (1) no nível energético (1) Noiva do Cordeiro (1) O Fruto do Pecado Original (1) O mal (1) O Maligno (1) O MEU SITE (1) O mito do lençol manchado de sangue (1) O Nome (1) O Nome de Deus (1) O Nosso Destino Futuro (1) O Racialismo Excêntrico do Falo e de Lilith (2) O Ritual Tashlich (dos Peixinhos) (1) O SEXO DOS ANJOS (1) O sexo é a música do matrimónio (1) O TEMPO (1) O testamento do Papa Bento XVI (1) OIEV (1) Online Contemporary Jewish Community. (1) Open Theism (2) ORAÇÕES PELOS DOENTES (1) ORAR (1) Origens (1) Os Novos Dez Mandamentos (1) OSHO (1) OSHO: D-us não é uma solução (1) Osservatore Romano (1) Ovnis (1) Oxysgenos Design (1) Padre Beto (1) Padre Carreira das Neves (1) Padre da Lixa (3) Padre Quevedo (1) Padrões da Comunidade do Facebook (1) Palavra da Sabedoria (1) Pânico Na Band - 29/07/12 - COMPLETO (HD) (1) Papa (2) Paper.li (1) Parousia (1) PASTOR BATISTA FAMOSO E ESQUECIDO (1) PASTORES QUE NÃO ACREDITAM EM DEUS (1) Paulo Brabo (1) PDF (1) Pecado contra o Espirito Santo (1) Pecado Original (7) Pecado Original não existe nos Judeus (1) Pentecostes (1) Perdão (1) PERDOAR (1) Peshitta (1) Pessach (2) Poesia (1) POLÍTICA SEXY (1) Political and Religious Subjects (1) Porque razão o inconsciente tem uma atuação mais forte do que o consciente? (1) Post Mortem (1) Predestinação (2) Profecia (1) Purgatório (1) quebrou quando não creu Nele? (1) Quiyamah (1) Rabinato (1) Rabino Marcos Andrade Abrão (2) Rabino Marcos Andrade Abrão (1) Rádio Goom (1) Rádio Los 40 (1) RAP (1) Reencarnação (1) REFO 500 (1) Reform Judaism (2) REFORMATION (1) Regressão (1) Religião Hebraica e Cananita (1) Religiosas(os) de Clausura (1) Ressurreição (5) RETRO TUMBLR (1) Ricardo Gondim (1) RIT - Programa Vejam Só - A Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal (1) Ritual Kosher (1) Ritual Tashlich (dos Peixinhos) (1) Romanos 9 (1) ROMANOS 9 | PREDESTINAÇÃO | LIVRE-ARBÍTRIO | LIVRE AGÊNCIA | ADÃO NÃO FOI O PRIMEIRO HOMEM (1) Rosh Marcos Andrade Abrão (3) Ruído (1) Sacerdócio Feminino (1) Sacrifício de Jesus (1) Sacrifícios (1) SALMO 23 (1) Salvação (3) Samael (1) Samaritanos (1) Santidade Judaica (1) Santíssima Trindade (3) Santo Ofício (1) Santos (1) Santos Constantino e Helena (1) SARAH (1) Satan (2) Saúde (1) Serpente (1) Sete Leis de Noach (1) Sete Mandamentos (1) Sete Mandamentos de Noach (1) sexualidade (2) Shabbat Shalom (2) Sharia (1) Shechita (1) SPAM (1) Street View (1) Talmud (2) Talmude (1) Tanach (1) TANTRA (1) Teísmo Aberto (2) teologia (1) Teologia Relacional (1) Teólogo Kadu Santoro (1) TERCEIRA GUERRA MUNDIAL (1) TESE SOBRE HOMOSSEXUALISMO (1) Teshuvá - Tefilá - Tzedaká (1) Texto antigo fala que o Prefeito Pôncio Pilatos ofereceu sacrificar filho no lugar de Yeshua (1) The House of Yahweh My Side of the Story (1) The Shlomones -I'm Going to a Seder - Passover Pesach (1) This is my Bible (1) TIMELINE (1) Tom Horn (1) Torah (1) TORAH COMPLETA (2) Tradução Correta do NT (2) Transfusões de sangue (1) TRANSMUTAÇÃO (1) Tratado de Sotá (1) Tratado de Sucá (1) TREVAS (1) Trindade (4) tumblr pessoal (1) TUMBLRS (2) TWEETS (1) TWEETS LIBERAIS E CONSERVADORES (11) TWITCAM (1) TWITTERS QUE SIGO (1) TWWW.TV (1) Tzemah Yoreh (1) Um pastor sexualmente culpado e promiscuo (1) UMA PESSOA QUE NASCEU SURDA MUDA PENSA EM QUE IDIOMA? (1) UNÇÃO (1) Unitarismo (1) Valedor (2) VALORES (1) valores e práticas - 2011 (1) Verbo (1) Véu (1) Vida de Contemplação (1) VINGANÇA (1) VIOLÊNCIA (1) Virgem Maria (1) VIVER (1) Você crê em Deus ou em Elohim? (1) Yachad (1) Yachid (1) YESHAYAHU/ISAÍAS 52:13—53:12 (1) Yeshu (1) Yeshu ha-Notzri (1) Yeshua (4) Yom Kippur (1) Yoshke (3) Yossef Pai de Miriam (1)

VERBETE SOBRE CIÚME

Read more

GLBT News

Read more

ESKUP ÚLTIMA HORA

Tuultimolibro




Padrões-da-Comunidade-do-Facebook e do Judaísmo Secular ou Humanista » http://cavrt.blogspot.pt/2012/10/padroes-da-comunidade-do-facebook.html



Robespierre Cardoso da Cunha
Simples o dominio que esta por trás dela é de um anjo caído ...HA'Satan


Francisco Sales Gonzaga
só isto e prq eles seguem anjo caido?será que o sujeito ñ esta vendo o anjo caido não? gente acorda!!!!!


Regina Da Silva Farias
ñ é nda por causa de anjo nenhum é por causa de poder só isto e riquezas ela sabe que se começa falar a vdd tera que devolver oque tomou dos inocentes a 2mil anos e tera que pga pelos crimes que cometeu nestes 20 seculos!


Regina Da Silva Farias
ela ainda é muito poderosa esta na epoca do barro mas ainda é muito forte!


Alcides Jose de Castro
Mas como posso ser conhecedor da vdd e ensinar a mentira?pode patecer ingenuo de minha parte mas quantas pessoas nas trevas.e JESUS CRISTO,O NAZARENO sempre diz que a vdd liberta.como posso cultuar imagens de gesso uma vez que D+us busca adoradores que o adorem em Espirito,pela fé.


Francisco Sales Gonzaga
A idolatria e depravação dos homens>A ira de DEUS se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detém a verdade pela justiça; romanos cap;1;vers;18porquanto o que de DEUS


Francisco Sales Gonzaga
se pode conhecer é manifesto entre eles,porque DEUS lhe manifestou.vers;19!


Magalhães Luís
Eu ainda não percebi porque razão se afirma que a Igreja Católica leva à idolatria. Como é que uma teologia apoiada em Santos e teólogos de primeira qualidade ainda leva a uma questão do século XVI?! Quando as Igrejas da Reforma que tinham essa disputa já chegou a um entendimento da postura Católica. Para chegar a uma posição consensual nas cerimónias litúrgicas ecuménicas recorre-se a ícones.


Magalhães Luís
Continua-se a pensar a partir da mentalidade sectariana evangelical, unicista, unitariana, judia-muçulmana...


Magalhães Luís
E aos crentes em Yeshua vão estudar mariologia. Passo 1: http://pt.scribd.com/doc/99504667/MARIOLOGIA



X
Alcides Jose de Castro......a igreja católicas criou muitos costumes para se diferenciar entre as religião....para aderir mais adeptos.....criou costumes quem nem existe na Biblia,o de padre não poder casar,isto não existe, é apenas uma forma que igreja católicas achou de não dividir seus bens.....do vaticano não dividir seus bens com estas famílias....mais podemos ver muitos filhos bastardos jogados ao leu.....muitos jovens sendo usados pelos padres....não existe a crisma....entre muitos outros costumes ....o de idolatria....pois o Papa é o maior criador de imagens....mais pela posição social .....e politica ....pela força de poder politico.....ela consegue continuar a enganar......um pastor disse em uma de suas pregações que a África sofre até hoje as consequências das escravidão.....do Egito.....pois lá foi o lugar que Cristo foi crucificado.....e pela nação do Egito ser um povo negro.....entendeu-se que é racismo.....mais na verdade é só as consequências de pecado do passado.....Deus acabou com Sodoma e Gomorra pelo pecado do luxuria.....do imagens ....e idolatria ..e do homossexualismo que existia na época.....e este mesmo pastor disse que Deus ama os homossexuais....mais condena seus pecados.....foi criticado por isso ...e o Papa para defender a família católica disse a mesma frase.....que Deus ama os homossexuais mais condena seus pecados....ama as pessoas mais não seus erros.....e ninguém se importou....nada houve contra ele......tudo que a igreja católica aprova ....fala......por causa da politica...economia......do poder......tudo é aceito......e se de qualquer religião disser.....é condenado......a justiça do homem é cega......a justiça do homem é conveniente......só a Deus....é justa e fiel......por isso nunca vamos enteder ninguém nem o mundo pois os homens são corruptos e todo mundo tem um preço.....e cada um mostra seu valor na hora da verdade.......o mundo jás do maligno......e o que vale....entre muitos é sobreviver......enquanto deveria ser saber viver.....pois sem YHWH não somos nada......ou podemos até ser por um tempo.....mais não podemos ser o tempo todo...assim é a verdade e a mentira......tudo pode durar por um tempo mais nunca o tempo todo.....Deus tira as mascaras.....desnuda os soberbos....rebeldes...desobedientes.....arrogantes......


Magalhães Luís
A questão do Padre ser casado ou não, não tem a haver com argumentos materialistas. Que estão presentes, é claro, ninguém contesta isso. Mas o Padre casa misticamente com Jesus. Que é superior a qualquer casamento humano.


X
PAZ DE ESPÍRITO, MELHOR CALMANTE!
Às vezes as tribulações da vida nos deixam abalados e perdemos a paz e o sono. Sentimo-nos acuados e encurralados por sentimentos turbulentos que assombram nossa alma. O melhor remédio para um sono reparador é a paz de espírito, fruto da confiança em Deus. o rei Davi, quando estava passando o momento mais amargo de sua vida, fugindo de seu próprio filho Absalão, que queria tirar-lhe a vida e tomar-lhe o trono, disse: "Deito e logo pego no sono, porque só tu, Senhor, me fazes repousar seguro".


Magalhães Luís
Eu sou um cristão que está casado misticamente com Jesus; não o troco por mulher alguma.


Magalhães Luís
Sou celibatário com toda a liberdade.


Magalhães Luís
Todo o sacerdote apaixonado por Jesus devia ser celibatário.


Magalhães Luís
Estou com São Paulo.


Magalhães Luís
1 Coríntios 7: 32 Pois quero que estejais livres de cuidado. Quem não é casado cuida das coisas do Senhor, em como há de agradar ao Senhor,

33 mas quem é casado cuida das coisas do mundo, em como há de agradar a sua mulher,

34 e está dividido. A mulher não casada e a virgem cuidam das coisas do Senhor para serem santas, tanto no corpo como no espírito; a casada, porém, cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido.

35 E digo isto para proveito vosso; não para vos enredar, mas para o que é decente, e a fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distração alguma.
João Ferreira de Almeida Atualizada (AA)


Magalhães Luís
"O homem não casado e o virgem cuidam das coisas do Senhor para serem santos, tanto no corpo como no espírito; o casado, porém, cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à esposa."


Magalhães Luís
"A mulher não casada e a virgem cuidam das coisas do Senhor para serem santas, tanto no corpo como no espírito; a casada, porém, cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido."

X
Se o padre tem a ideia que casa com Jesus Magalhães Luís.....ainda é pecado maior ainda...de ignorância pois todos os padres tem suas amantes.....e o vaticano incoberta oculta tudo isso....sempre que aparece na mídia algo sobre isso de um padre ele fica um tempo fora e depois volta......lá tudo é acobertado....esse negocio de celitabo....é falso.....veja o Francisco renunciou.....ficou um tempo acobertado....e hoje já mora quietinho nos palácios do vaticano.....lá tudo funciona na mesma politica.....tudo se acoberta.....todos os estupros......toda luxuria......todo fruto da carne é acobertado e oculto pelo vaticano.....se você cre que existe mesmo celibato na igreja católica você é muito ingênuo.....


Magalhães Luís
"E digo isto para proveito vosso; não para vos enredar, mas para o que é decente, e a fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distração alguma."


Magalhães Luís
Pois eu não tenho amante alguma. Só Jesus na minha vida. E comigo tenho muitos santos.


Magalhães Luís
E não vivo na lúxuria.

X
Algum crente.....já foi casado com uma mulher por caridade?


Magalhães Luís
Sim. Por caridade. Existem crentes assim. Para as tirarem da prostituição. Com autorização eclesiástica. Nada às escuras. 


X
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk......quanta hipocrisia Magalhães Luís


Magalhães Luís
Agora essas mulheres estão casadas com pessoas que realmente as amam no aspecto unitivo e procriativo. Cristãos praticantes. E nessas congregações toda a gente participa nesses eventos reconstructivos da nova biografia dessas almas.

X
Você está vendo que você só confirmou tudo o que eu disse Magalhães Luís.....o Vaticano aprova....tudo......e os padres enganam a si mesmos....pois a sociedade já sabe ....sem essa de caridade.


Magalhães Luís
Com certeza, mas não é da ICAR. Não menciono denominações. E foi um pedido de uma outra Igreja a outra Igreja. Que pediu ajuda. Pois não sabiam mais como ajudar. Foi algo interconfessional. Contaram-me. Gente de credibilidade.


X
Você não precisa casar com uma mulher para ajudar ela Magalhães Luís.........Para de se enganar com esses da clerezia.....Fica dizendo essas heresias absurdas de caridade e outros besteirol.


Magalhães Luís
José casou com Maria, a nossa Mãe, por caridade e obediência.


Magalhães Luís
Sabia disso?! Para não ser apedrejada.


X
Magalhães Luís......me desculpe...mais com a hipocrisia deslavada não dá da para falar.....e voce ainda fica argumentando se achando o bom......me poupe...desta.....todo o padre tem amante sim e é acobertado pelo Vaticano.......ele sabe que não vive o pecado pois casar e ter família não é pecado.....o pecado é a hipocrisia....sua de disser que era só caridade......


Magalhães Luís
José casou com Maria, a nossa Mãe, por caridade e obediência. Sabia disso?! Para não ser apedrejada. Sabia. Estou apenas a imitar o santo.


Magalhães Luís
E mais: "O homem não casado e o virgem cuidam das coisas do Senhor para serem santos, tanto no corpo como no espírito; o casado, porém, cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à esposa."

Magalhães Luís "A mulher não casada e a virgem cuidam das coisas do Senhor para serem santas, tanto no corpo como no espírito; a casada, porém, cuida das coisas do mundo, em como há de agradar ao marido."


Magalhães Luís
"E digo isto para proveito vosso; não para vos enredar, mas para o que é decente, e a fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distração alguma."


Magalhães Luís
Destaco: "A fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distração alguma."


Magalhães Luís
Sem distracção alguma.


Magalhães Luís
Sem distracção alguma.


Magalhães Luís
Sem distracção alguma.


Magalhães Luís
Destaco: "A fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distracção alguma."

X
Magalhães Luís.....ou voce é muito safado.....ou é ignorante.....Jose amava a Maria....já estava para se casar com ela......e por ser um homem temente a Deus....e por um anjo ter falado com ele....e por ele ver que ali se fazia a gloria de Deus.....se fazia cumprir as promessas.....e depois eles tiveram muitos outros filhos.....ele respeitou Maria no tempo que Deus deu a ele....mais a mulher que voce casou não precisava de sua caridade desta forma......me engana que eu gosto.....isso tem outro nome......que vergonha usar as Palavras Bíblicas para justificar esta heresia blasfêmia...hipocrisia....



Magalhães Luís
José amava Maria?! E por um Anjo ter falado com ele?! Isso é em Mateus 1:20. Em "19José, com quem Maria ia casar, era um homem que sempre fazia o que era direito. Ele não queria difamar Maria e por isso resolveu desmanchar o contrato de casamento sem ninguém saber."


Magalhães Luís
Veja: "José, com quem Maria ia casar, era um homem que sempre fazia o que era direito. Ele não queria difamar Maria e por isso resolveu desmanchar o contrato de casamento sem ninguém saber.""


Magalhães Luís
Não fala de amor. Fala de fazer tudo direito.


Magalhães Luís
E mais » Escreve São Paulo: "E digo isto para proveito vosso; não para vos enredar, mas para o que é decente, e a fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distracção alguma."


Magalhães Luís
 E centre-se no que diz São Paulo: "E digo isto para proveito vosso; não para vos enredar, mas para o que é decente, e a fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distração alguma."

X
Magalhães Luís.....as pessoas usam versículos da Biblia...e querem usar em sua vida achando que estão fazendo as mesmas coisas igual da Palavra....se voce se casou com alguém seu celibato se foi no casamento.....hoje voce pode ser uma pessoa resguardada......mais não no celeibato...na pureza.....


Magalhães Luís
O celibato, no meu caso é retomado quando eu quiser. Eu quando fiz o voto de celibato não era perpétuo. Pois era um religioso calvinista, não era um religioso católico. Tinha alguns privilégios especiais. Eu queria crescer no conhecimento do Senhor. Sem distracções.


Magalhães Luís
E durante anos não me distraí do Senhor.


X
Eu já fui da Igreja Católica e tenho muitos da família na igreja católica e sei como funciona estas coisas lá....


Magalhães Luís
Se sei algo hoje devo-o a esse tempo. "O homem não casado e o virgem cuidam das coisas do Senhor para serem santos, tanto no corpo como no espírito; o casado, porém, cuida das coisas do mundo, em como há de agradar à esposa."


Magalhães Luís
Eu fui monge a tempo inteiro e sei como funcionam estas coisas lá...


Magalhães Luís
Não ouvi dizer.


Magalhães Luís.....quando voce perde a virgindade.....perdeu amigo....quando perdemos algo....esta perdido principalmente num caso como esse......a pureza.....é assim ou se é ou se não é.....deixa de hipocrisia.....voce já de certeza se deitou ou coabitou com alguém e quer me dizer qaue é puro sexualmente.....me poupe......


Magalhães Luís
"E digo isto para proveito vosso; não para vos enredar, mas para o que é decente, e a fim de poderdes dedicar-vos ao Senhor sem distração alguma."


Magalhães Luís
Celibato não é virgindade.


Magalhães Luís
Celibato não tem a ver com ser puro sexualmente. Isso é ser monge budista.


X
HIPOCRISIA....Magalhães Luís..........voce não vive de celibato assim como nenhum padre vive isso é só enganação.....enganam vocês mesmos e tentam enganar os outros.........besteirol.........o celibato é um costume só no papel.....de igreja católica.....mais na pratica não funciona.....de forma nenhuma........HIPOCRESIA>>>>>>>>>>
No dicionário Magalhes esta escrito assim: Celibato estado de uma pessoa que se manteve solteira...celeibatario que ou aquele que nunca se casou.......portanto.......para de HIPOCRESIA.....

Magalhães Luís
Os três conselhos evangélicos (de «virgindade-pobreza-obediência») constituem teologicamente um unicum. Os três conselhos não são separáveis: na sua unidade eles evocam a fé na Santíssima Trindade (escolhe-se ser pobre perante o Pai rico de todos os dons; obedientes como o Filho; virgens pelo amor unificador e fecundo do Espírito Santo), eles unem intimamente o cristão ao mistério do Filho encarnado que viveu pobre, casto e obediente; exprimem com radicalidade o dinamismo das três virtudes teologais; conduzem ao redescobrir da estrutura originária do ser humano e an­tecipam o mundo novo. Não se pode «professar» a virgindade, sem professar também a pobreza e a obe­diência.


Magalhães Luís
Mas dentro da Igreja Católica um padre pode casar-se. Basta ser padre católico da Igreja Católica de rito oriental.


Magalhães Luís
Só o padre de rito latino é que não pode casar.


Magalhães Luís
No rito ocidental se você quiser casar pode casar-se na Comunhão Anglicana e depois pedir para ser integrado na Igreja Católica.


Magalhães Luís
Por isso qualquer padre pode casar-se. Só tem é que escolher.


Magalhães Luís
Repito. Os três conselhos evangélicos (de «virgindade-pobreza-obediência») constituem teologicamente um unicum. Os três conselhos não são separáveis: na sua unidade eles evocam a fé na Santíssima Trindade (escolhe-se ser pobre perante o Pai rico de todos os dons; obedientes como o Filho; virgens pelo amor unificador e fecundo do Espírito Santo), eles unem intimamente o cristão ao mistério do Filho encarnado que viveu pobre, casto e obediente; exprimem com radicalidade o dinamismo das três virtudes teologais; conduzem ao redescobrir da estrutura originária do ser humano e an­tecipam o mundo novo. Não se pode «professar» a virgindade, sem professar também a pobreza e a obe­diência.

X
Magalhães Luís
Se não quiser invocar a santíssima Trindade na sua vida sacerdotal, tem o rito oriental e a Comunhão Anglicana.

Magalhães Luís........HIPOCRESIA ...e EGOCENTRISMO.......essa é sua religião esse é seu deus.......chega......sem definição..........................................................................................................................e o pior de tudo fica tentando se argumentar...............................................................seja seu sim. sim............seu não não o que vier além disso é maligno....................cada vez se compromete mais...quanto mais fala.....mais azeda tudo....


Magalhães Luís
Não quer entender é consigo. Mas pergunte a um padre se no rito oriental não se pode casar.


Magalhães Luís
Passar bem.

X
Tem muita sujeira em muitas lugares Magalhães Luís.......não em tudo mais em muita coisa em muita religião.....e escondem tudo debaixo do tapete.....conhecedores da Palavra ........é cheio de hipocrisia......enganação......só Deus para por terra toda sujeira......enganação.


Magalhães Luís
Que a afectividade e a sexualidade não são uma fatalidade, imposta pelas leis da natureza e da sociedade, mas são o campo de uma escolha livre, é o próprio Jesus quem o proclama, antes de mais sendo Ele próprio celibatário e proclamando que há aqueles que escolhem a via da continência por amor do Reino dos Céus (cf. Mt 19, 12). Ao proclamar a possibilidade desta escolha livre, o Senhor restitui ao casamento a sua dignidade de escolha livre. Sobretudo a mulher, que tinha a sua dignidade restringida à procriação, sente-se liberta e reconhecida na sua dignidade como pessoa. Não é por acaso que, na Igreja nascente, são as mulheres que escolhem a virgindade como caminho para seguir a Cristo, que suscitam o ideal da virgindade como caminho cristão de amor.


Magalhães Luís
Eu hoje retomo esse caminho. Por isso fico mais livre para estudar e poder depois partilhar.


Magalhães Luís
O celibato não é uma renúncia ao amor; é a escolha de um amor novo e este converge com o amor do Bom Pastor. A própria complementaridade homem-mulher encontra expressão de profundidade e de intimidade mística, onde o melhor de cada um exprime a comunhão dos santos. São Bento e Santa Escolástica, São Francisco e Santa Clara não são os únicos exemplos.

Magalhães Luís.......voce vive na carne......do seu próprio egocentrismo........faz um churrasco da própria carne e não consegue nem sentir dor.......nem ver nada......vive num arco íris......


Magalhães Luís
Eu escolhi este amor novo. Imitador de São Paulo. E das suas palavras: "Sem distracção".


Magalhães Luís
Você parece que quer me incentivar negativamente.


Magalhães Luís
Em vez de me ajudar. Eis um poema que descreve o que queremos ser. O que a nossa alma quer ser. »»»»»»»»»

Seja a alma humana leve, branca e pura como a neve, 
A fim de que a sua lisura seja tudo menos breve. 
Essa pureza química na verdade sã consiste; 
A mentira, triste mímica, lá não cabe, lá não existe. 
E assim, no refrigério dessa alva simplicidade, 
Encontra-se viva e salva a irmã humanidade!...

Miguel Neves